Procurar – Questionar – Responder…

Quem sou eu? Onde estou? Quem procuro? Por quem caminho e vivo?…

“Se Deus me pusesse numa mão toda a verdade e na outra as perguntas sobre a verdade, eu escolheria a mão que interroga.”

Gotthold Ephraim Lessing


«As respostas definem, encerram o pensamento e a esperança. As definições só servem para as coisas. Definir pessoas é matá-las.

As perguntas sugerem, libertam e convidam a ir mais além, nas coisas, nas situações e, sobretudo, nas pessoas.

É de temer a ideia de não haver nada a esperar, a não ser uma existência repetitiva. As perguntas são um dom que ninguém espera…

… O poeta Rainer Maria Rilke exorta a viver bem cada pergunta, a não correr depressa de porta em porta, de livro em livro, de mestre em mestre à procura de respostas. Há que gostar das perguntas, deixá-las dar à luz lá dentro.»

As perguntas-chave, aquelas que abrem as fechaduras do meu coração, não são: Que devo fazer? Como devo ser? Mas sim: Quem sou eu? O que é que vive em mim? Onde estou? Quem procuro? Por quem caminho e vivo?

Sou, caminho e vivo por Alguém que faz feliz o meu coração!

(Citações adaptadas de Ermes Ronchi em “As inquietantes perguntas do Evangelho”. Paulus 2017)